Desenhar: Benefícios dessa Brincadeira

         Quem nunca pegou um pedaço de papel, algumas canetinhas, lápis de cor, giz de cera e fez um desenho despretensioso, relaxado!? Desenhar é uma atividade que muitos apreciam. Mesmo depois de adultos, muitos ainda se aventuram nessa maravilhosa prática. Para as crianças, as expressões artísticas vêm de forma natural e prazerosa. Elas desenham, cantam, narram histórias, dançam. Expressam-se de forma espontânea, com alegria e naturalidade. Mas essa “brincadeira de desenhar” por exemplo, é uma atividade com vários benefícios para o desenvolvimento infantil. Mesmo para aquelas crianças bem pequenas. Incentivá-las faz com que cresçam em conhecimento e amadureçam na medida do possível.

         O ato de manipular objetos para desenhar desenvolve a coordenação motora fina, tão importante para os movimentos dos pulsos, mãos e dedos. Essa coordenação é de extrema importância para a vida toda. Favorece o aperfeiçoamento para atividades que exijam habilidades motoras específicas e delicadas, aprimorando a atenção e o foco. Por isso, o incentivo ao desenho é uma excelente maneira de melhorar a cada dia, a coordenação.

         Uma boa forma de aguçar a análise visual na criança é pedir a ela que desenhe situações ou objetos (conceitos) a partir da distância (perto e longe), do tamanho (grande e pequeno), da textura (áspero e macio), e assim por diante. Essa atividade propiciará a ela noção e aprendizado sobre essas diferenças. Faça com que sejam momentos felizes e descontraídos — sem estresse —, sugerindo de uma forma bem natural, sem cobranças ou pressões.

         Desenhar é uma prática prazerosa no universo infantil, desenvolvendo a concentração ao se esmerar nos detalhes, no tempo de dedicação, no capricho da finalização do desenho. Essa concentração é de extrema importância para o sucesso da vida escolar das crianças, e as acompanhará no decorrer de todo o processo acadêmico.

         Outro benefício do ato de desenhar é a melhoria da habilidade da coordenação entre os olhos e as mãos. Ao desenhar, é necessário um esforço entre o que se vê e o que se faz, auxiliando também na parte de recreações, musicalização, atividades esportivas, entre outras. Uma atividade interessante é pedir para a criança desenhar um objeto que está na sua frente. Pode ser um vaso de flores, um pote de biscoitos ou até mesmo um brinquedo em cima da mesa. Outra opção é sugerir a ela que olhe um desenho em um livro ou revista e tente reproduzi-lo em seu caderno.

         A autoconfiança produz motivação e incentivo para novas conquistas. Quando as crianças se sentem confiantes, produzem suas atividades com mais interesse, sabendo que têm chance de realizar o que se propõem. Conte uma história envolvente, com bastante eloquência. Transmitindo assim o que de mais bonito a história oferece. Depois, peça às crianças que façam um desenho sobre o que mais chamou a sua atenção durante a narrativa. Ao criar representações físicas de sua imaginação, pensamentos e experiências, é possível que esse processo de autoconfiança alcance um degrau a mais nessa conquista.

         Além desses benefícios, outra coisa importante que o ato de desenhar promove é o incentivo à solução criativa de problemas. Quando a criança determina a melhor forma de unir partes de um corpo, retrata emoções e consegue representar texturas, tamanhos, expressões, está desenvolvendo a capacidade de resolver problemas de forma criativa. Você pode fornecer tarefas específicas de desenhos, como por exemplo, desenhar a família e falar sobre as cores escolhidas, as texturas das figuras, a técnica usada (para crianças maiores), entre outros.

         Desenhar é uma atividade relaxante e importante para o desenvolvimento infantil. Incentive a prática dessa arte e faça sempre um reforço positivo. Elogie! Exiba os desenhos em um painel na parede de casa ou da sala de aula. Coloque em porta-retratos, fotografe e mande para os amigos, inclua os desenhos em postagens especiais de comemorações dos familiares ou professores. Incentive sempre a criança a desenhar.

         Desenhar é uma brincadeira saudável, podendo proporcionar momentos inesquecíveis. Segundo Derdyk (1993, p. 51), o ato de desenhar é antes de qualquer coisa “alegria, é curiosidade, é afirmação, é negação. Ao desenhar, a criança passa por um longo processo vivencial e existencial”.

         Um grande abraço,

 

Como professora de Língua Portuguesa, especialista na área de linguística, Patrícia* acredita que o futuro depende de cada um de nós: pais, educadores, sociedade para formarmos jovens e adultos conscientes voltados para um mundo melhor e com respeito pelo próximo. Dedica-se especialmente no desenvolvimento cognitivo e afetivo de seus alunos, apresentando o conhecimento de forma dinâmica e divertida, sempre mostrando que nossa língua é rica e digna de ser lida com muita admiração.

*Patrícia é nossa pedagoga convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião da Editora Siano.